28 2101-7604

Home / Dicas de homilia

DICAS DE HOMILIA - Domingo da Ascensão do Senhor

 

 

 

 (At 1,1-11) / Sl 46 / (Ef 1,17-23 / Mc 16,15-20)

 

A Missão dos discípulos missionários - Firmes na Esperança - Acompanhados pelo Senhor

 

 

A Liturgia da Palavra da Solenidade da Ascensão do Senhor  traz a força do envio missionário que os discípulos receberam do Senhor, ao enviá-los em Missão. O que os alimenta e sustenta é a Esperança do chamado que receberam, sendo o sinal do seu envio e a força que os impulsiona em seu sim ao Senhor. Por isso, os discípulos são desafiados pela palavra do anjo, encontrada na Primeira Leitura, a manterem-se fiéis e com os olhos fixos na Missão a eles confiada. Sendo assim, o envio que receberam é fortalecido pela esperança do chamado e pela certeza de serem sempre acompanhados pelo Senhor que os chamou e enviou.

 

A Missão dos discípulos ganha relevo nas palavras de Jesus a eles dirigidas, no caso do texto de Marcos, apesar do texto ter sido escrito após o término do resto do Evangelho, tal envio é sentido e fortemente acolhido pela comunidade. A pregação do Evangelho é uma Missão que Jesus confia aos seus discípulos antes de se elevar ao céu, algo que foi acolhido pelos mesmos quando o Senhor ainda estava com eles. De fato, eles foram o alvo primeiro da pregação do Evangelho que o próprio Jesus apresentou, seja por Palavras, quanto pelo testemunho e ações, desse modo, o coração dos discípulos já estava impactado por tudo o que viram e ouviram

 

Após a sua ressurreição, o Senhor encontra os seus discípulos na Galiléia, lá reconhecem o Senhor e recebem dele o seu mandato missionário: "Ide, pele mundo inteiro e anunciai o Evangelho a toda a criatura" (Mc 16,15). A Galiléia indica o lugar do ministério de Jesus, lugar do chamado dos discípulos, lugar do sim desses, lugar marcado pelo Batismo e pelo dom da Fé, que se torna o lugar do envio para a missão de toda a Igreja. Ao receberem o envio, os discípulos partem em Missão, algo que no Evangelho de Marcos tem um caráter universal, isto é, o anúncio é destinado a todos indistintamente, judeus e especialmente dirigido aos pagãos. Desse modo, aqueles que foram chamados pelo Senhor, a fim de que na convivência com Ele fossem formados como verdadeiros discípulos, hoje recebem, do próprio Jesus a Missão de levar ao mundo inteiro a Boa Notícia do Evangelho. Sendo assim, a missão da comunidade dos discípulos é a de anunciar o que do Senhor receberam, convidando à profissão de Fé e ao Batismo todos os que encontrarem. Tendo sido eles, por primeiro, formados no caminho do discipulado, são enviados a levar a todos a proposta do mesmo caminho de Fé e seguimento de Jesus Cristo.  O que foi confiado à eles é a Missão de continuar o que o Senhor iniciou, isto é, convidar tantos outros a iniciarem o caminho do discipulado missionário. Único caminho possível para aqueles que desejam, pelo convívio com o Senhor, pela escuta de Sua Palavra, serem formados como novos discípulos, e, por conseguinte, novos missionários.

 

No caminho do seguimento de Jesus Cristo, proposto pelo Evangelho de Marcos, o que conserva firme os discípulos na Missão é a certeza e a Esperança do chamado que eles receberam. De fato, a certeza que trazem em seus corações de serem sempre acompanhados pelo próprio Jesus foi capaz de firmar os passos dos discípulos, de modo que a sua pregação e presença foram sentidas ao longo da história. Os discípulos receberam do Senhor a certeza de sua presença, algo que foi comunicada aos seus corações, marcando-os de forma clara para a missão e, principalmente, para as perseguições que sofreram. Firmados na Esperança, na experiência que fizeram da ressurreição do Senhor, como a Segunda Leitura indica, os discípulos foram sustentados e animados a manterem-se fiéis na Fé que professaram. Por isso que, mesmo diante do desafio da missão e, muitas vezes, do próprio martírio, eles conseguiram ser testemunhas vivas de Cristo na história. Tudo isso foi possível porque mantiveram em seus corações a firme Esperança que fala a Segunda Leitura. Pois ela foi a garantia e a certeza que o Senhor deu aos seus quando no dia de sua Ascensão, prometendo que permaneceria para sempre com eles. Desse modo, os corações dos discípulos foram iluminados por uma chama viva, isto é a Esperança de serem acompanhados pelo Mestre, fortalecidos por sua graça, instruídos por sua Palavra e enviados com a força de seu Espírito para a missão. Tal experiência de Fé fez surgir em seus corações as condições necessárias para que se colocassem à disposição do Senhor, como seus discípulos missionários. Desse modo, ainda hoje, todos os chamados ao caminho do discipulado missionário são chamados a manterem viva, em seus corações, a chama da Esperança.  Isto é, a certeza de serem sempre acompanhados por Aquele que os escolheu, formou como discípulos e os enviou para a Missão de anunciar o Evangelho.

 

Na Solenidade da Ascensão do Senhor a Igreja é sempre colocada diante de um caminho proposto de seguimento do Senhor, que prometeu caminhar sempre junto dos seus e os enviou em Missão. Na Primeira Leitura, os discípulos ao contemplarem o Senhor se elevar diante deles, são interrogados por dois homens vestidos de branco: "Homens da Galileia, por que ficais aí parados olhando para o céu?" (At 1,11). Uma palavra que ilumina os corações dos discípulos, que acabavam de contemplar o seu Mestre e Senhor subir ao céu. Tal questão a eles proposta é hoje direcionada a toda a Igreja com o intuito de suscitar o desejo de aplicar  todas as suas forças no anúncio do Evangelho. Algo que, apesar de não facilmente compreensível e visível, poderia garantir o sentido mais profundo e dar a base de sua vocação como discípulos missionários. Eles estavam preocupados em contemplar os céus, pelos medos e incertezas de enfrentarem os desafios do anúncio da Boa Nova de Jesus Cristo. Tinham se esquecido das palavras firmes do Mestre a eles dirigidas: "recebereis o poder do Espírito Santo que descerá sobre vós, para serdes minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judeia e na Samaria, e até os confins da terra” (At 1,8). Desse modo, os discípulos são exortados a firmarem a sua Esperança no Senhor, na certeza de que são acompanhados pelo Senhor, mesmo enfrentando as contradições de um mundo, aparentemente, hostil ao Evangelho. Pois a fé cristã indica para os discípulos de Cristo um caminho a ser trilhado na história, isto é, como diz São Paulo, viver o cotidiano unido a Cristo, como uma nova criatura. A fim de tornar o mundo um lugar mais de Deus e de seus filhos, ainda marcados pela exclusão e violência. De modo que onde estiver um discípulo de Cristo, firmado na Esperança do chamado que recebeu e ungido pela força do Espírito Santo, lá chegue o anúncio do Evangelho, por meio das palavras e atitudes de vida.

 

Que a Liturgia da Palavra do Domingo da Ascensão do Senhor seja capaz de confirmar nos corações de todos os fiéis a Esperança de serem sempre acompanhados pelo Senhor em sua Missão. De modo que, firmados no caminho do seguimento de Jesus Cristo, tornem-se anunciadores alegres do Evangelho, por meio da palavra e do testemunho de vida. A fim de que as Comunidades Eclesiais de Base e todos os seus membros, imbuídos desse espírito e desse vigor, se tornem sinais vivos de Cristo e de sua presença em todos os lugares da sociedade, como sinais do Reino de Deus.

 

Pe. Andherson Franklin Lustoza de Souza

 

 

 

 

Comentários


Informativo

Cadastre seu e-mail e receba informações mensais da Diocese.


  diocesacachoeiro@hotmail.com

  28 2101-7603

Rua Costa Pereira, 41 - Centro

CEP: 29.300-090 - Cachoeiro de Itapemirim - ES

Diocese de Cachoeiro de Itapemirim

 

© Diocese de Cachoeiro de Itapemirim. Todos os direitos reservados.

 

Produção / Cadetudo Soluções Web