Notícias

26.07.2021

MUTICOM

Mutirão de Comunicação da CNBB é realizado com mais de 6 mil participantes. Iniciativa do Departamento de Comunicação e Pascom de Itaoca é indicada finalista do Prêmio de Comunicação da CNBB

A 12ª Edição do Mutirão de Comunicação teve início na tarde desta sexta-feira, 23 de julho, com a abertura da sala de início da transmissão às 16h45. O evento é promovido pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), com realização da Pascom Brasil, Signis Brasil e Rede Católica de Rádios e patrocínio da Agência Parábola, CiaTicket, Conferência dos Bispos Católicos dos Estados Unidos, Magnificat e apoio da Lumina Viagens e Turismo, PUC Minas e arquidiocese de Belo Horizonte. Foram mais de 6 mil participantes online, entre profissionais e agentes de comunicação das dioceses, paróquias e veículos de comunicação católicos.

A assessora de Comunicação da CNBB, Manuela Castro, e o presidente da Signis Brasil, Alessandro Gomes, foram os mestres de cerimônia que conduziram a programação. O presidente da Signis Brasil reforçou o objetivo do Mutirão: “Ser um espaço de estudo, troca de experiências e apontamentos de novos rumos para a comunicação católica brasileira”.

 

Mensagem do Papa e bênção apostólica

A mesa de abertura, às 17h30, foi composta pelo presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e arcebispo de Belo Horizonte (MG), dom Walmor Oliveira de Azevedo, pelo bispo auxiliar de Belo Horizonte e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação da CNBB, dom Joaquim Giovani Mol. O presidente da CNBB agradeceu a realização do encontro com uma programação de altíssima qualidade oferecido à Igreja no Brasil pela Comunicação da CNBB e pelos parceiros. “Tenho certeza que as marcas deste Mutirão impulsionarão a Igreja no Brasil cada vez mais em sua tarefa missionária, qualificando-nos a todos e fazendo de nós verdadeiros comunicadores”, disse.

Dom Walmor leu uma mensagem enviada especialmente ao encontro pelo Papa Francisco: “Os cristãos são chamados a ser um sinal de esperança e solidariedade na sociedade brasileira tão atingida pela atual pandemia (…). Ser sinal de esperança significa em primeiro lugar ser instrumento de reconciliação e unidade, missão da Igreja no Brasil”, diz um trecho da mensagem.

Na mensagem, o Papa afirma que os comunicadores cristãos devem estar na linha de frente na promoção de uma comunicação que constrói pontes, que busca o diálogo e supera as aporias ideológicas, certo de que todos somos responsáveis pela comunicação que fazemos, pelas informações que damos e pelo controle que podemos, conjuntamente, exercer sobre as notícias falsas, desmacarando-as. O Santo Padre enviou a todos os participantes uma bênção apostólica e pediu que rezem por ele.

Confira a íntegra do documento (AQUI).

 

Segundo dia

O segundo dia de atividades na 12ª Edição do Mutirão de Comunicação começou com uma mensagem do arcebispo de Belo Horizonte (MG) e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Walmor Oliveira de Azevedo, sobre o Pacto Pela Vida e pelo Brasil assinado e apresentado no dia 7 de abril de 2020, no Dia Mundial da Saúde, que busca uma ação propositiva para a “grave crise” enfrentada pelo Brasil – sanitária, econômica, social e política.

“As instituições signatárias do Pacto pela Vida e pelo Brasil trabalham para consolidar uma cidadania que se alicerça na solidariedade. Clamam por políticas públicas capazes de amparar os mais pobres com adequado tratamento da vergonhosa desigualdade social. Para alcançar um tempo novo de mais justiça e paz, a sociedade brasileira precisa assumir o seu protagonismo, sua responsabilidade e seu compromisso”, destacou dom Walmor no vídeo.

O Pacto pela Vida e pelo Brasil é assinado pela CNBB, juntamente com a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), a Comissão Arns, a Academia Brasileira de Ciências, a Associação Brasileira de Imprensa e a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência. Em seguida, o bispo Oeiras (PI) e membro da Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação da CNBB, dom Edilson Nobre conduziu o momento de espiritualidade diretamente do Centro de Espiritualidade da PUC Minas.

Em seguida, o jornalista e doutor em Ciências da Comunicação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), Moisés Sbardelotto, deu início a primeira conferência do dia. O tema de sua apresentação foi ‘Era do onlife: real e virtual se (com)fundem. Também na Igreja?’.

A segunda conferência da manhã do sábado foi conduzida pelo doutor em Ciências da Comunicação e professor da PUC de São Paulo, Norval Baitello Júnior. O tema foi ‘Retomar as rédeas do mundo: o humano-cristão nos novos ecossistemas à luz da Fratelli Tutti’.  O professor fez uma análise de questões elementares da comunicação. Desde a comunicação primária, que é a comunicação dos corpos presentes no mesmo espaço, no mesmo tempo, até a comunicação terciária que é aquela que veio por meios técnicos, eletrônicos. “Todos esses recursos que vieram enriquecer repentinamente as nossas possibilidades de comunicação”, destacou. 

Baitello Júnior falou sobre amor, no seu mais amplo sentido, vínculo, interação, contato físico, fraternidade, amizade, cuidado para explicar a relação com o outro, da inclusão de todos e de retomar as rédeas. Segundo o professor, não se pode perder a esperança de construir um mundo melhor para a inclusão e não da exclusão absoluta das maiorias.

A parte do início da tarde do sábado, no Mutirão de Comunicação, foi dedicada às conferências. A primeira delas com o título “Comunicação para o bem viver em tempo de máxima desigualdade” foi proferida pela professora e doutora Viviane Mosé.

Viviane afirmou que vivemos em uma sociedade exaurida. “Temos uma exaustão ambiental. Somos uma sociedade pandêmica, estamos vivendo uma e viveremos outras. Nossa relação com a Terra e o ambiente fez com que nos tornássemos hospedeiros de vírus”. A professora falou sobre o primeiro conceito que todos devem trabalhar em comunicação: enxergar que o ser humano não faz parte da natureza, ele é a natureza.

Utopias do mundo integral – A segunda conferência da tarde foi sobre “Utopias do mundo integral”, com o professor e doutor Carlos Ferraro, também Presidente de Signis ALC – Argentina. O professor apresentou uma reflexão sobre o conceito de utopia. “Felizmente há uma comunhão de ideias sobre o que é utopia”, disse.

Para construir uma utopia, segundo o professor, é necessário criar uma lógica, uma nova maneira de pensar. “Sem perspectivas de ação e reflexão não há utopia”, disse. Carlos Ferraro citou também partes da Encíclica Fratelli Tutti, do Papa Francisco, onde argumenta que o pontífice é utópico e traz um bom diagnóstico do funcionamento do mundo atual, crítico e pró-ativo.

 

53º Prêmios de Comunicação da CNBB

Durante o encerramento o MUTICOM 2021 foram divulgados os finalistas dos  Prêmios de Comunicação da CNBB, que chegou em sua 53ª edição. Dos 397 inscritos, em 7 categorias diferentes, 3 finalistas foram divulgados em cada categoria.

E para a emoção da Diocese de Cachoeiro de Itapemirim, na categoria Kerigma, foi agraciada com a indicação para a final. A "Formação Simples para Live" concorrerá pelo primeiro lugar do prêmio na categoria, mas já estando entre as principais iniciativas do país e elevando o nome da Comunicação da Diocese de Cachoeiro de Itapemirim. Conheça a Formação Simples para Live clicando aqui. 

O Prêmio Pastoral Kerigma incentiva e premia trabalhos e ações das equipes de Comunicação e Pastoral da Comunicação das paróquias e dioceses do Brasil, tendo como critério a implementação das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da CNBB (2019-2023).

Assista abaixo o momento da indicação (aos 20m e 25s)