28 2101-7604

Home / Dicas de homilia

DICAS DE HOMILIA - 16º Domingo do Tempo Comum

 

 

(Gn 18,1-10a / Sl 14 / Cl 1,24-28 / Lc 10,38-42)

 

A Escolha do Discipulado Missionário - A União a Cristo - A Escuta da Palavra e o Serviço

 

A Liturgia do Décimo Sexto Domingo do Tempo Comum tem como tema central o Discipulado Missionário, que tem início na Escolha pelo discipulado missionário, como caminho de união íntima com o Senhor. De fato, no Evangelho de Lucas, as figuras de Maria e Marta devem ser compreendidas à luz do caminho do Discipulado Missionário, uma escolha que é feita e vivida, por meio da graça divina. Algo que na Segunda Leitura fica claro nas palavras do autor da Carta aos Colossenses, ao exortar aos irmãos a aprofundarem a sua união com Cristo. Por fim, no mesmo Evangelho o autor indica que a Escuta da Palavra deve nutrir o Serviço apostólico, missionário.

        

O texto do Evangelho proposto para o Sexto Domingo do Tempo Comum traz a cena de Jesus que é acolhido na casa de Lázaro, Maria e Marta. De fato, o relato evangélico tem um propósito bastante claro, que deve ser bem compreendido, a partir das palavras nele encontradas. Quando o autor descreve a cena, faz questão de dizer que Maria se encontrava aos pés de Jesus, escutando a sua Palavra. Uma cena muito romântica e até bonita, porém, muito mais simbólica do que real, ou seja, revela uma escolha e uma atitude de vida. De fato, tal expressão é utilizada em outra passagem bíblica que trata do apóstolo Paulo e a sua estadia em Jerusalém, antes de seu encontro com o Senhor, na estrada de Damasco. O Livro dos Atos dos Apóstolos (At 22,2) indica que Paulo foi a Cidade Santa para se colocar aos pés de Gamaliel. Tal expressão queria indicar que o apóstolo teria escolhido a escola de formação de Gamaliel, como estrada a ser percorrida por ele, em sua formação e aprofundamento da Fé judaica. Sendo assim, não deve ser interpretada literalmente, mas, deve ser acolhido o sentido profundo de uma escolha, isto é, do reconhecimento de um caminho que deveria ser, por ele, percorrido.

        

No caso de Maria, não é diferente, pois a vemos aos pés do Mestre, na escuta de Sua Palavra, isto é, o autor quer indicar que ela fez a escolha pelo discipulado missionário. Um caminho de união com o Senhor, no qual seria formada como uma verdadeira discípula, dentro da Comunidade dos Discípulos Missionários. De fato, a Comunidade dos discípulos missionários, segundo os Atos dos Apóstolos é o lugar da partilha e escuta da Palavra, da Fração do Pão, das Orações e da Comunhão Fraterna, que é o Serviço concreto aos irmãos. Sendo assim, a escolha de Maria deve ser a escolha de todos os que desejam aprofundar a experiência de Fé, mas, não somente uma experiência intimista e solitária com o Senhor, ao contrário, uma verdadeira experiência de União a Cristo que a todos confia a Sua Palavra e Envia para a Missão.

          

Na Segunda Leitura, o autor da Carta aos Colossenses indica o caminho de união Íntima com Cristo, como sendo algo essencial a todos os cristãos que desejam crescer na profissão de Fé e no Testemunho. A perfeita União com o Senhor que é proposta pela Segunda Leitura, conduz o cristão, diretamente, ao Caminho do Discipulado Missionário, no qual será formado. Um caminho que deve ser trilhado cotidianamente, por meio de uma adesão profunda ao Senhor, seja na Escuta atenta de sua Palavra, quanto no serviço aos irmãos.

        

A imagem de Maria, proposta pelo Evangelho, deve levar à reflexão sobre o tempo que deve ser aplicado na formação daqueles que exercerão o serviço e a missão na Comunidade e no Mundo. Pois, somente por meio de uma íntima união com o Senhor, reconhecendo o que o movia em suas escolhas e atitudes, como afirma Paulo aos Filipenses (Fl 2,5), é que o cristão será capaz de se tornar um sinal do Reino de Deus. Sendo assim, é papel da Comunidade criar espaços que possibilitem tal encontro com o Senhor, seja pela reflexão e estudo da Palavra, seja pelo serviço missionário e da Caridade. Pois, no encontro com a Palavra e na Serviço aos irmãos e irmãs, principalmente, os que mais precisam, o Senhor se revela e chama ao seu seguimento.  

        

Por fim, no texto do Evangelho de Lucas, Jesus é acolhido na casa da família de Lazaro, Marta e Maria, logo depois de ter sido rejeitado pelos samaritanos no texto anterior ao litúrgico. A cena do Evangelho é muito conhecida e apresenta as duas irmãs com atitudes diversas diante do Mestre. Maria se coloca aos pés de Jesus para escutá-lo, enquanto Marta, por sua vez, coloca-se à serviço para bem recebê-lo. Muito pode ser dito sobre as atitudes de cada uma delas e, por vezes, pode-se pensar na importância de uma em relação à outra. Bem, na verdade, é necessário esclarecer dois pontos fundamentais neste episódio do Evangelho desse domingo: o primeiro ponto é a necessidade da escuta da Palavra a fim de que o serviço possa ser fecundo, e o segundo é que a cada momento deve-se saber escolher cada uma das atitudes.

        

No texto do Evangelho, certamente não deve-se pensar no serviço de casa, quando a cena propõe Maria e Marta que receberem Jesus, mas, sim o serviço na Igreja, a diaconia. O cristão só é capaz de bem servir, quando o primeiro passo que dá é o da escuta da Palavra, isto é, o discípulo missionário, um caminho que o insere no contato com a Palavra de Deus, na escuta fecunda da voz do Senhor. Tal escuta é o espaço fecundo, no qual o discípulo é formado a fim de ser enviado para a Missão e o Serviço. Pois, é somente por meio da Palavra, acolhida, meditada e assimilada que o cristão pode ser tornar um verdadeiro discípulo missionário, que é enviado a anunciar, com a vida e a palavra o Reino de Deus. Sendo assim, formado pela escuta atenta da Palavra, o discípulo missionário compreende a sua missão e torna-se, por meio da graça de Deus, capaz de assumir o serviço aos irmãos, de maneira especial, dos que mais precisam. Com o coração tocado pela Palavra, ele sente-se convocado pelo Senhor que o ajuda a descobrir o que deve realizar, em vista da construção do Reino de Deus.

        

Apesar disso, não deve-se compreender a Palavra de Jesus, dirigida a Maria, que, segundo ele, teria escolhido a melhor parte, como a prioridade da Escuta da Palavra em relação ao Serviço. Na verdade, na palavra de Jesus, o autor do Evangelho quer indicar a necessidade da Escuta da Palavra como passo inicial na formação do discípulo, algo que não exclui o Serviço como fundamental no mesmo processo. Os discípulos missionários serão sempre formados pela Palavra, serão sempre alimentados pela mesma e, também, por meio dela, serão enviados para a Missão e para o Serviço Fraterno. Uma atitude não deve ser vivida sem a outra, pois, as duas são complementares na boa formação de homens e mulheres novos, para um mundo novo, segundo os valores do Evangelho. Sendo assim, é necessário que as Comunidades Eclesiais de Base tornem-se espaços fecundos de encontro com o Senhor que a todos revela as Escritura. Que indicam como devem se comportar e viver os que foram chamados, formados e enviados pelo Senhor, como seus discípulos missionários.   

        

Que a liturgia desse Décimo Sexto Domingo do Tempo Comum provoque em todos os irmãos e irmãs o sincero desejo de escolherem o Caminho do Discipulado Missionário como estrada para a vida. A fim de que aprofundem a sua intimidade e união com o Senhor, aprofundando assim, a sua experiência batismal. De modo que possam, a partir da Escuta da Palavra, sentirem-se convocados para a Missão, visto que sem a primeira e segunda a missão não seria possível de ser realizada.

 

Pe. Andherson Franklin Lustoza de Souza

 

 

 

Comentários


Informativo

Cadastre seu e-mail e receba informações mensais da Diocese.


  diocese@diocesecachoeiro.org.br

  28 2101-7603

Google Play

Rua Costa Pereira, 41 - Centro

CEP: 29.300-090 - Cachoeiro de Itapemirim - ES

Diocese de Cachoeiro de Itapemirim

 

© Diocese de Cachoeiro de Itapemirim. Todos os direitos reservados.

 

Produção / Cadetudo Soluções Web