28 2101-7604

Home / NENHUM

DICAS DE HOMILIA - Domingo da Ascensão do Senhor

 

 

(At 1,1-11 / Sl 46 / Ef 1,17-23 / Lc 24,46-53)

 

A Esperança dos Discípulos - A Missão dos Discípulos - A Igreja em Saída

 

Na liturgia do Domingo da Solenidade da Ascensão do Senhor, a Igreja celebra a sua maior Esperança, a sua Missão e aquilo que a identifica, isto é, ser uma Igreja em Saída. O que alimenta e fortalece os passos dos Discípulos Missionários é a Esperança do Chamado que receberam, ao qual disseram o seu sim, como afirma a Segunda Leitura. Pois, de fato, aqueles que foram chamados pelo Senhor, para estarem com Ele, sendo formados por sua Palavra, recebem a Missão de manifestarem a Sua presença no mundo. Como uma Igreja em Saída, que parte de Jerusalém para as estradas do mundo, anunciando com Alegria o Evangelho.

        

Nas palavras da Segunda Leitura, da Carta aos Efésios, o autor exorta aos irmãos da comunidade a manterem sempre firme a Esperança do Chamado do Senhor que receberam. De modo que neles e por meio deles a presença, o poder e a graça do Senhor possam se manifestar ao mundo. De fato, os discípulos receberam do Senhor a certeza de sua presença, algo que foi comunicado aos seus corações, marcando-os de forma clara para a missão e, principalmente, para que pudessem ser fiéis, diante das perseguições que sofreram. A força para tal testemunho lhes foi conferida na experiência que fizeram da ressurreição do Senhor, como afirma a Carta aos Efésios. Pois, eles foram sustentados e animados a manterem-se fiéis na Fé que professaram, a fim de revelarem, por meio da graça de Deus, a força da Ressurreição de Cristo que instaura um tempo novo.

        

Somente por meio da firme Esperança que nutriam em seus corações, de que o Senhor lhes acompanhava sempre, que os discípulos, mesmo diante do desafio da missão e, muitas vezes, do próprio martírio, conseguiram ser testemunhas vivas de Cristo na história. Sendo assim, fica claro diante da Comunidade que a Esperança que fala o autor da Carta é a certeza da presença do Senhor, que nasce e se firma na Sua promessa feita no dia de sua Ascensão. Quando Ele promete permanecer para sempre junto aos seus discípulos, que Ele mesmo envia em Missão até os confins da terra. Desse modo, os corações dos discípulos foram iluminados por uma chama viva, isto é a Esperança de serem acompanhados pelo Mestre, fortalecidos por sua graça, instruídos por sua Palavra e enviados com a força de seu Espírito Santo para a missão. Tal experiência de Fé fez surgir em seus corações as condições necessárias para que se colocassem à disposição do Senhor, como seus Discípulos Missionários. Desse modo, ainda hoje, todos os chamados ao caminho do discipulado missionários são convocados a manterem viva, em seus corações, a chama da Esperança que o chamado que receberam contém. Isto é, a certeza de serem sempre acompanhados por Aquele que os escolheu, formou como discípulos e os enviou para a Missão de anunciar o Evangelho.

        

Ascensão do Senhor remete a Igreja a meta missionária que está sempre diante dela, um caminho proposto de seguimento do Senhor que prometeu caminhar sempre junto dos seus. No relato da Primeira Leitura, assim que os discípulos contemplam o Senhor elevar-se diante deles, dois homens vestidos de branco os interrogam dizendo: "Homens da Galileia, por que ficais aí parados olhando para o céu?" (At 1,11). Uma interrogação muito direta e clara, dirigida àqueles que acabavam de se despedir de seu Mestre e, por isso, deviam decidir o que fazer de suas vidas. A pergunta a eles dirigida tinha o desejo de ajudá-los a colocar todas as suas forças em algo que, apesar de não facilmente compreensível e visível, poderia garantir o sentido mais profundo e dar as bases de sua vocação como discípulos missionários. Os discípulos estavam olhando os céus ao invés de mergulharem na história, esquecendo-se do que o próprio Senhor lhes tinha dito antes de partir: "recebereis o poder do Espírito Santo que descerá sobre vós, para serdes minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judeia e na Samaria, e até os confins da terra” (At 1,8).

        

O Senhor confere à Comunidade dos Discípulos a Missão de anunciar o Evangelho, sendo um sinal claro de Sua presença na história, principalmente junto aos pequenos e fracos. Nesse envio missionário, o que garante a força e o vigor necessários para tal compromisso, diante das dificuldades que se apresentam, é a Esperança do Chamado que cada a comunidade recebeu. De modo que se tornem verdadeiras testemunhas de Cristo, fazendo por meio de seu compromisso e ação, o mundo um lugar mais de Deus e de seus filhos. A fim de que onde estiver um discípulo de Cristo, firmado na Esperança do chamado que recebeu e ungido pela força do Espírito Santo, lá chegue o anúncio do Evangelho, por meio das palavras e atitudes de vida.      

        

O texto do Evangelho de Lucas proclamado na Solenidade desse Domingo apresenta à Igreja um caminho missionário claro, que tem nas Palavras de Jesus o seu envio. De fato, a Comunidade dos Discípulos é convocada a olhar para o caminho feito, mantendo viva a memória dos feitos do Senhor e a recordação fecunda de Suas Palavras. Porém, os discípulos são enviados em Missão, num caminho a ser desbravado, uma estrada a ser percorrida, a fim de que o Evangelho possa chegar aos confins de toda a terra. Ao concluir o Evangelho com a Ascensão do Senhor, o evangelista Lucas abre o caminho para a Igreja, como uma Comunidade que é convidada a receber a força do alto e, por meio dela, sair em Missão. Ao receberem a bênção do Senhor, os discípulos retornam para Jerusalém, na espera do dom do Espírito Santo prometido, que lhes conferiria a força para a Missão a eles confiada pelo Senhor.

        

Nas Palavras dirigidas por Jesus aos seus discípulos, os mesmos encontram a Esperança que lhes mantém fiéis ao Chamado e lhes confere a coragem e vigor necessários para a Missão: "Vós sereis minhas testemunhas". Tais Palavras são impressas nos corações dos discípulos que passam a reconhecer que somente formando uma Igreja em Saída seriam fiéis ao que o Senhor lhe pediu. Pois, uma Igreja que se fecha e não reconhece que, mesmo diante das dificuldades do caminho, o Senhor sempre acompanhará os seus, perde seu vigor e não realiza a sua vocação. Ela é chamada a ser portadora da Esperança de tempos novos, capaz de suscitar nos corações o desejo e o empenho na construção do Reino de Deus. Na certeza de que o Senhor coopera com os seus discípulos, a fim de que todo esforço, todos os gestos, as escolhas e as atitudes pautados nos valores do Evangelho possam florescer sempre. Sendo assim, a Igreja presente no mundo inteiro, reconhecendo o apelo missionário do Senhor a ela confiado, abre as suas portas para acolher seus filhos e filhas e para também enviar os discípulos para a missão nas realidades do mundo. Assumindo assim, o seu papel, a sua identidade, realizando aquilo que a distingue, isto é, ser uma Igreja em Saída, anunciando a Alegria do Evangelho.   

        

Que na Celebração Litúrgica da Solenidade da Ascensão do Senhor, cada irmão e irmã seja colocado diante do desafio de manter viva a Esperança que a todos une a Cristo no Caminho Discipulado Missionário. Confirmando os passos de todas as Comunidades Eclesiais de Base em sua Missão, como verdadeira Igreja em Saída. A fim de que, toda a Igreja assuma o mandato missionário dado pelo Senhor com alegria e entusiasmo, tornando-se anunciadora da Alegria do Evangelho.  

 

Pe. Andherson Franklin Lustoza de Souza

 

 

 

Comentários


Informativo

Cadastre seu e-mail e receba informações mensais da Diocese.


  diocese@diocesecachoeiro.org.br

  28 2101-7603

Google Play

Rua Costa Pereira, 41 - Centro

CEP: 29.300-090 - Cachoeiro de Itapemirim - ES

Diocese de Cachoeiro de Itapemirim

 

© Diocese de Cachoeiro de Itapemirim. Todos os direitos reservados.

 

Produção / Cadetudo Soluções Web