28 2101-7603

Home / NENHUM

29.01.2020

DICAS DE HOMILIA - Festa da Apresentação do Senhor

Movidos pelo Espírito Santo - Ir ao Encontro do Messias - Iluminados e Enviados a Iluminar

 

(Ml 3,1-4 / Sl 23 / Hb 2,14-18 / Lc 2,22-40)

 

Movidos pelo Espírito Santo - Ir ao Encontro do Messias - Iluminados e Enviados a Iluminar

 

A Celebração da Apresentação do Senhor ocorre quarenta dias depois da Solenidade do Natal e é chamada pela Igreja Oriental de a Celebração do Encontro. Um momento no qual o Messias vai na direção de seu povo eleito, manifestando-se aos seus e sendo por eles acolhidos, representados por Simeão e Ana. De fato, ambos movidos pelo Espírito Santo são conduzidos até ao Templo, eles foram capazes de escutar o sussurro do Espírito, para que, no momento em que Maria e José apresentavam o Menino Jesus, lá o pudessem encontrar. As palavras de ambos são a expressão da alegria de terem nos braços o Messias, a Luz que ilumina todo o mundo. Os seus corações são iluminados e as suas palavras iluminam o caminho de todos os que desejam encontrar o Messias, apontando para o mistério de sua cruz, na qual a salvação é plenamente realizada.  

        

O encontro da Família de Nazaré com Simeão e Ana, no Templo de Jerusalém foi provocado pela graça e pelo sussurro do Espírito Santo, quem aos seus servos comunicou que veriam o Salvador. O Evangelho desse domingo aponta esse caminho trilhado pela família de Nazaré, Jesus, Maria e José. O texto em questão, ressalta o cumprimento da Lei, na apresentação do menino Jesus ao Templo e da purificação de Maria, segundo a Lei. O texto indica que o encontro do jovem casal de Nazaré, o menino Jesus e os  dois anciãos foi uma obra do Espírito Santo. Uma cena que não deve ser reduzida em seu aspecto formal, isto é, a celebração de um elemento da Lei, seja pela apresentação do menino ao Templo, quanto da purificação de sua Mãe. De fato, quem age para que esse encontro de amor pudesse acontecer é o próprio Espírito Santo, que estava sobre Simeão e o moveu até o Templo. O mesmo Espírito que o faz reconhecer o Messias, no menino que ele toma em seus braços, fazendo-o exultar de alegria, a causa do tempo novo que o próprio Messias iniciará.

        

A obra do Espírito Santo neste trecho do Evangelho de Lucas é muito sentida, de maneira especial na missão de fazer com que Simeão e Ana sejam conduzidos ao Messias, o reconheçam e o acolham. Aqui está uma chave para a compreensão deste encontro, no qual o Messias é acolhido pelo seu povo. Ou seja, tal encontro é obra do Espírito Santo, que deseja conduzir todos até o Filho de Deus, revelando a sua presença e convidando-os a acolhê-Lo de todo o coração. Nesta Celebração da Apresentação do Senhor é o Espírito Santo que comunica a presença do Messias, do Filho de Deus, convidando aos irmãos e irmãs a se dirigirem a Ele, no intuito de o encontra-Lo e serem iluminados por Ele. Desse modo, assim como o Espírito conduziu Simeão e Ana ao encontro da Família de Nazaré, ao encontro do Messias no Templo, Ele ainda hoje conduz os filhos e filhas de Deus ao Messias. A fim de que a partir deste encontro de amor, todos se tornem seus discípulos missionários e iluminados por sua luz, possam iluminar o mundo inteiro.

        

O Evangelho de Lucas, em seu primeiro capítulo retrata o nascimento de João Batista, com o anúncio feito pelo anjo ao seu pai Zacarias, no Templo de Jerusalém. Neste mesmo local, acontece o cumprimento da promessa feita ao servo do Senhor Zacarias, pois, Deus se revela por meio de Seu Filho ao seu povo escolhido. De fato, na Casa de Deus, em sua própria casa o Messias é acolhido e reconhecido, fazendo brotar no coração dos que o recebem um hino de louvor. Este foi um encontro do amor de Deus que deseja visitar o seu povo, confirmando a sua promessa feita ao seu povo, que mantinha viva a esperança de ver o Messias. Diante dos olhos dos que contemplam este episódio do Evangelho, fica claro o desejo amoroso de Deus de encontra-se com o seu povo, um amor que tem necessidade de ser comunicado e, por isso, convida ao encontro.

        

Todos os encontros que acontecem na vida são frutos de uma série de fatores que contribuem para que os mesmos aconteçam, fazendo com que as estradas se cruzem e os caminhos se entrelacem. No caso do Evangelho,  se todos os envolvidos negligenciassem o impulso de se dirigirem ao Templo naquele instante, ou se perdessem também a hora, aquele encontro não teria acontecido. Tal aspecto indica algo muito importante no Evangelho de Lucas que é a urgência da Salvação, ou seja, Deus deseja visitar o seu povo e isso é algo que constantemente é indicado pelo evangelista. Algo que deve provocar a todos hoje ainda o desejo de ir ao encontro do Messias, convocados pelo Espírito, na busca Daquele que se deixa encontrar. De fato, o Senhor aguarda ansiosamente os seus filhos e filhas, desejoso de reuni-los e abraça-los pelos braços do seu Filho. Desse modo, o caminho que fez Simeão e Ana ao dirigirem-se ao Templo é uma convocação a todos, a fim de que façam o mesmo, na certeza de que encontrarão o Senhor e serão por Ele iluminados.

        

A celebração deste domingo também é conhecida como a Festa das Luzes, recordando as palavras de Simeão ao indicar que o Messias seria uma Luz a iluminar todas as nações. Os dois servos do Senhor foram iluminados com a luz do Messias que acolheram em seus braços, pois, receberam a verdadeira Luz do Mundo. Eles representam todos os que desejavam ver a salvação do Senhor Deus e ansiavam por contemplar Aquele que viria em nome do Senhor. Diante do menino Jesus, Simeão e Ana exultam por reconhecer o cumprimento das promessas divinas, por saberem-se acolhidos diante do Salvador. Desse modo, uma grande alegria invade o coração de Simeão e de Ana, que com o menino nos braços louvam o Deus Vivo e Verdadeiro, por iluminar o mundo com a luz do Salvador. Eles foram iluminados e as suas palavras são a manifestação de alegria, conforto e esperança, confortando e iluminando o coração de Maria e de José.

          

A Celebração da Apresentação do Senhor é marcada pela luz das velas, que indicam simbolicamente o que acontece no coração de todo aquele que vai ao encontro do Senhor que a todos se apresenta. Assim como foram iluminados Simeão e Ana, também o serão todos os que saírem ao encontro do Salvador, a fim de que acolhendo-o, tomando-o nos braços, levem-no para a vida do dia a dia. As velas acesas são a expressão do desejo de que a humanidade seja iluminada pela Luz que veio ao mundo, a Luz verdadeira que liberta todo o homem. De modo que iluminados por tão infinita luz, sinal do amor do Pai, todos se tornem dela portadores, enviados a iluminar as realidades ainda marcadas pela escuridão do egoísmo e da violência. Na verdade, as luzes que iluminarão o mundo inteiro são as boas obras dos que abraçaram o Senhor, que a todos se apresentou. Tais luzes nascem do compromisso de Fé e Testemunho de todos os que se deixaram iluminar por Cristo e foram formados como seus discípulos missionários, sinais da presença do Reino.  

        

Que a Celebração da Apresentação do Senhor seja um momento propício de encontro com o Senhor que a todos acolhe em sua presença. A fim de que inspirados pelo Espírito Santo e conduzidos por Ele, todos se dirijam a Cristo, à exemplo de Simeão e Ana. E diante Dele sejam iluminados e fortalecidos, para o bom testemunho da Fé, capazes de iluminar o mundo com a luz das boas obras, principalmente junto aos que mais precisam.

 

Pe. Andherson Franklin Lustoza de Souza

 

 

Seja o primeiro a comentar

Informativo

Cadastre seu e-mail e receba informações mensais da Diocese.


  diocese@diocesecachoeiro.org.br

  28 2101-7603

Rua Costa Pereira, 41 - Centro

CEP: 29.300-090 - Cachoeiro de Itapemirim - ES

Diocese de Cachoeiro de Itapemirim

 

© Diocese de Cachoeiro de Itapemirim. Todos os direitos reservados.

 

Produção / Cadetudo Soluções Web