28 2101-7603

Home / Canonização

16.05.2019

Anjo Bom da Bahia

Beata Irmã Dulce se tornará a primeira santa nascida no Brasil

 

O Papa Francisco recebeu em audiência na última segunda-feira, 13 de maio, o prefeito da Congregação das Causas dos Santos, cardeal Angelo Becciu, na qual autorizou o Dicastério do Vaticano a promulgar uma relação de decretos. Entre eles o da canonização da Irmã Dulce.

 

“Ao milagre, atribuído à intercessão da Beata Dulce Lopes Pontes (nome de batismo: Maria Rita Lopes de Sousa Brito), conhecida como Irmã Dulce – “O Anjo bom da Bahia”, recordada por sua obras de caridade e de assistência aos pobres e necessitados. Religiosa da Congregação das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição da Mãe de Deus, a Beata Irmã Dulce nasceu em Salvador em 26 de maio de 1914 e ali faleceu em 22 de maio de 1992. Irmã Dulce foi beatificada em 22 de maio de 2011 e com este decreto será proclamada Santa proximamente em solene celebração de canonizações”.

 

De acordo com informações reveladas pela Arquidiocese de Salvador, e também pelas Obras Sociais Irmã Dulce (OSID), este novo milagre reconhecido pelo Vaticano tem relação com uma pessoa cega que acordou enxergando.

 

Irmã Dulce será a primeira santa nascida em solo brasileiro. Frei Galvão, nascido em Guaratinguetá (SP) foi o primeiro santo brasileiro a ser canonizado. Madre Paulina, ou Santa Paulina do Coração Agonizante de Jesus, conhecida como a primeira santa do Brasil, nasceu na Itália e veio ainda criança para o país. Com isso, Irmã Dulce será a primeira mulher nascida no Brasil a ser canonizada.

 

 

História

 

Maria Rita de Souza Brito Lopes Pontes, nome de batismo de Irmã Dulce, é recordada por sua obras de caridade e de assistência aos pobres e necessitados. Religiosa da Congregação das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição da Mãe de Deus, nasceu em Salvador em 26 de maio de 1914.

 

Desde cedo manifestou interesse pela vida religiosa. Na adolescência passou a acolher mendigos e doentes em sua casa, transformando a residência da família em um centro de atendimento. A casa ficou conhecida como "A Portaria de São Francisco", por conta do grande número de carentes que se aglomeravam à sua porta. Irmã Dulce faleceu no dia 13 de março de 1992, aos 77 anos, no Convento Santo Antônio, em Salvador.

 

A OSID (Obras Sociais Irmã Dulce) atualmente é um dos maiores complexos de saúde com atendimento 100% gratuito do Brasil, com 3,5 milhões de atendimentos ambulatoriais por ano a usuários do Sistema Único de Saúde, o SUS, sendo 2,2 milhões apenas na sede localizada em Salvador. Legado este deixado através do exemplo da beata que em breve será canonizada.

 

 

Fotos: OSID

 

 

 

Seja o primeiro a comentar

Informativo

Cadastre seu e-mail e receba informações mensais da Diocese.


  diocese@diocesecachoeiro.org.br

  28 2101-7603

Rua Costa Pereira, 41 - Centro

CEP: 29.300-090 - Cachoeiro de Itapemirim - ES

Diocese de Cachoeiro de Itapemirim

 

© Diocese de Cachoeiro de Itapemirim. Todos os direitos reservados.

 

Produção / Cadetudo Soluções Web