28 2101-7603

Home / NENHUM

21.12.2018

DICAS DE HOMILIA - Vigília do Natal do Senhor

Hoje nasceu o Salvador - A Luz Resplandeceu - Paz na terra aos homens

 

(2Sm 7,1-5.8b-12.14a.16 / Sl 88 / Tt 2,11-14 / Lc 2,1-14)

 

Hoje nasceu o Salvador - A Luz Resplandeceu - Paz na terra aos homens

 

Depois da preparação do Advento, quando foram sendo acesas as velas da Coroa e iluminados os corações dos fiéis, todos são convidados a se achegarem até à gruta de Belém, repletos de alegria e esperança para a Vigília de Natal. Por toda a terra, desde as grandes Catedrais até as menores Comunidades Eclesiais de Base se ouvem os cantos de Paz e Júbilo, pois nasceu o Salvador. O convite feito pela Liturgia é claro, pois todos devem se aproximar com Fé da manjedoura, para contemplar nela o Redentor da Humanidade, o Filho de Deus.

        

Todos os textos Litúrgicos indicam a presença do Salvador, capaz de iluminar o caminho e a vida de todos os que o receberem, tornando-os promotores da Paz. No Evangelho de Lucas, os anjos comunicam aos pastores a grande alegria do nascimento do Salvador: Hoje, nasceu para vós o Salvador". Já na Primeira Leitura, as palavras do profeta Isaías são de grande exultação, pois ele reconhece que o Senhor enviará o portador de uma Luz Resplandecente, capaz de iluminar todos os que o acolherem. Por fim, de novo no Evangelho, os anjos entoam um hino de louvor ao Senhor que fez brilhar sobre os homens a sua Luz e lhes comunicou a sua Paz: Gloria a Deus, no mais alto dos céus, e Paz na terra aos homens por Ele amados".

        

No texto do Evangelho, a voz do anjo anuncia aos pastores o nascimento do Salvador, um encontro que leva aos corações daqueles que estavam fora da cidade uma grande alegria. O nascimento do Salvador é primeiramente comunicado aos pequenos e pobres, aos excluídos e marginalizados. De fato, os pastores eram proibidos de entrar na cidade, devido ao seu trabalho com as ovelhas, o que fazia com que fossem considerados impuros. Sendo assim, o urgente anúncio do nascimento do Salvador é dirigido, em primeiro lugar, aos que estavam marcados pela dor e humilhação, pelo sofrimento e marginalização. Na voz do anjo está presente algo fundamental para a compreensão do evangelista Lucas, sobre a salvação oferecida por Deus por meio de seu Filho. Ele afirma: "hoje, na Cidade de Davi, nasceu para vós um Salvador, que é o Cristo Senhor". Existe nas palavras do anjo a urgência da comunicação da salvação e, mais ainda, da acolhida do Salvador, capaz de mudar os rumos da vida daquele que o recebe. Ele, o Filho de Deus, levará os seus pelos caminhos da vida e os conduzirá, de novo, ao Pai, carregando em seus ombros os pecados de toda a humanidade. Essa Alegria da salvação é o fio que conduz todo o Evangelho de Lucas, comunicada aos corações a fim de que reconheçam a ação salvadora de Cristo na história humana. De modo especial, algo que é confirmado pelo fato do evangelista ter usado a palavra "hoje", que também se encontra em outras passagens do Evangelho (Zaqueu, o Filho Pródigo, O Bom Ladrão). Essa afirmação comunica a urgência da acolhida e da vivência da salvação, capaz de fazer novos os homens e mulheres, rompendo em seus corações os grilhões da escravidão e do pecado. Por isso, nas palavras do anjo pode-se compreender que é hoje o tempo da graça, hoje o dia da salvação, pois um menino nos foi dado e Ele é o Salvador.

        

Nas palavras do profeta Isaías, na Primeira Leitura, está presente a descrição de um momento bastante particular da vida do povo eleito, tempo de trevas e escuridão. Uma reflexão sobre as grandes dificuldades sofridas pelo povo, de maneira especial, diante do poder dos exércitos inimigos. No coração do povo eleito está presente o medo e a incerteza provocados pela presença dos seus opressores e de sua força grandiosa. Todavia, apesar de tamanha dor e angústia, o profeta Isaías percebe um sinal de esperança vindo da parte do Senhor. Ele se alegra com a promessa do nascimento de um menino, um filho dado por Deus, portador da Luz divina e da esperança para todo o povo. Diante do fulgor da luz divina trazida pelo menino, todas as trevas são dissipadas, toda dor é amainada e a esperança fortalecida, comunicando aos corações a alegria e a paz.  

        

O profeta Isaías ainda descreve a alegria do povo, comparando-a com aquela de uma grande e farta colheita, capaz de fazer com que os agricultores, louvem ao Deus da Vida. Ainda, ele compara tal alegria como uma grande vitória, que traz esperança e vigor para os que, por longos tempos, estavam guerreando. E o motivo principal a raiz de toda essa alegria e exultação está na certeza de que o Senhor nunca abandona os seus escolhidos, Ele está sempre a velar pelo seu povo. Carrega os seus fardos e os liberta dos grilhões da escravidão, rompe as correntes da opressão e comunica aos corações a sua paz. Pois é o Senhor quem multiplica e distribui todas as bênçãos, confirmando, assim, nos corações de seus filhos e filhas a razão principal de sua Alegria. De fato, no Natal é o Salvador que ilumina todos os que Dele se aproxima, tocando-lhes os corações, enchendo-os da verdadeira alegria, sinal de Sua presença. A Luz de que fala o profeta, para todos os cristãos é Cristo, o Salvador, que foi anunciado pelos anjos aos pastores. Aquele que iluminou a noite do mundo com a sua Luz e a todos conduz, Aquele que, por meio de seu amor, resgatou a humanidade, conduzindo-a aos braços amorosos do Pai.  

        

Ainda no Evangelho encontra-se a descrição, feita pelo anjo, do menino que os pastores deveriam procurar, ou seja, um sinal dado pelos anjos, que possibilitaria aos pastores reconhecerem o Salvador. O anjo diz que deveriam procurar por um menino envolto em faixas e deitado numa manjedoura. Tal descrição, não somente apresenta o nascimento de Jesus, mas, une-o diretamente ao momento de sua morte na cruz. Visto que, Jesus como recém-nascido é envolvido num manto e depositado na manjedoura, já, após sua morte, Ele é descido da cruz, envolvido num manto, sendo depositado num túmulo. Desse modo, é nítida a relação, feita pelo evangelista, entre a cena do nascimento de Jesus em Belém e o momento de sua entrega na cruz, na cidade de Jerusalém. Todavia, somente o reconhecerão todos os que se colocarem à caminho, após se deixarem tocar pelas palavras do anjo. O final do texto do Evangelho proclamado, ouve-se o cantico de júbilo dos anjos que diz: "Gloria a Deus, no mais alto dos céus, e paz na terra aos homens por Ele amados". De fato, aqueles que saem ao encontro do menino Deus, do Salvador, quando o encontram e o acolhem, são convidados a ingressar no caminho do discipulado missionário. São chamados a fazer de sua vida um sinal daquele que iluminou os seus corações e lhes comunicou a verdadeira alegria da salvação. Tornam-se promotores da Paz e da Justiça, sinal claro da presença do Salvador no mundo, vocacionados a serem um sinal claro do amor de Deus que salva os seus filhos e filhas. São homens e mulheres que, apesar das dificuldades que enfrentam, sentem-se convocados a depositarem a sua confiança no Senhor que os salvou, por meio do seu Filho. A fim de que suas vidas espelhem sempre o amor, a bondade e a misericórdia divina, como verdadeiros promotores da Paz, isto é, Filhos e Filhas de Deus, discípulos missionários de Jesus Cristo, o Salvador nascido no Natal.

        

Que o nascimento do Salvador, Luz que ilumina todos os homens, comunique a todos a grande alegria do Natal, trazendo aos corações a Paz e a Alegria. A fim de que todos iluminados pela Luz resplandecente do Salvador e foratelecidos por sua graça, tornem-se promotores da Paz, por meio de gestos concretos de solidariedade e promoção da vida. Que em  todas as Comunidades Eclesias de Base, todas as famílias e ressoe em toda a terra, ressoe o canto dos anjos: "Gloria a Deus, no mais alto dos céus, e paz na terra aos homens por Ele amados".

 

Pe Andherson Franklin Lustoza de Souza

 

 

Seja o primeiro a comentar

Informativo

Cadastre seu e-mail e receba informações mensais da Diocese.


  diocese@diocesecachoeiro.org.br

  28 2101-7603

Google Play

Rua Costa Pereira, 41 - Centro

CEP: 29.300-090 - Cachoeiro de Itapemirim - ES

Diocese de Cachoeiro de Itapemirim

 

© Diocese de Cachoeiro de Itapemirim. Todos os direitos reservados.

 

Produção / Cadetudo Soluções Web